sabato presentazione “cinque strumenti e una pistola”

sabato la presentazione della composizione di Noid sulle montagne di Nodar. Gli
artisti si stanno preparando per l’evento, studiano e si rilassano
poco, cucinano, puliscono e tirano pietre.
Siete tutti invitati a partecipare, se dall’Italia vi trovate a passare
da qui, prendete un autobus per Castro Daire e proseguite per una
ventina di chilometri a piedi verso Nodar.
Come minimo vi offro un caffe’…


link in inglese o portoghese

Arnold Haberl (Noid) | Áustria
"Cinco instrumentos e uma pistola” | Composição electroacústica
Concerto electroacústico na paisagem para violoncelo, violino, voz, electrónica, pedras do rio Paiva, folhas de eucalipto e pistola. Os instrumentos serão amplificados pelo próprio eco do vale de Nodar, por megafones e por sistemas de car audio.
O autor deste projecto único escreveu uma partitura musical para o vale de Nodar que inclui cinco músicos (Manuela Barile, Rui Costa, António Mainenti, Manuel Paiva e José do Raso) e um maestro (o próprio Noid) que sinalizará as suas indicações com tiros de pistola (que possam ser facilmente audíveis por todo o vale).
A ideia para este trabalho está ligada a um outro projecto no qual Noid trabalha actualmente e que o mesmo designa por “conquista amigável”. É a ideia de tocar um instrumento de forma quase invisível em ambientes sonoros naturais, de forma a comunicar com o meio natural, adicionar alguma informação sem destruir o que já lá está e transformar procurando não ser óbvio.
Esta será também a estratégia para os cinco instrumentos e uma pistola, ou seja, trabalhar com sons que lá estejam ou que possam lá estar, os quais se fundem com o som normal do vale.

Arnold Haberl (Noid) é um compositor e improvisador austríaco que utiliza quer
instrumentos acústicos (violoncelo) quer electrónica. Noid tem colaborado com outros rtistas sonoros como Klaus Filip, Mattin, o.blaat, erikM, etc. e com coreógrafos ou erformers (João Fiadeiro, Katharina Bauer, Mariella Greil, Tetsuo Furudate e Akemi akeya).
Com a sua música ele tenta compreender a realidade sonora em que vive. Esta realidade nclui imaginações, desejos, sonhos e alucinações acústicas assim como o ruído da entoinha do seu laptop ou o “wolf-tone” do seu violoncelo.


http://noid.klingt.org/

This entry was posted in arte E rivolta: gli arditi dell'arte. Bookmark the permalink.